Minha primeira consulta com um psicólogo!

11:40

Bom dia guerreiros e guerreiras do meu coração de dragão! Tudo bem com vocês? Eu estou tentando melhorar a cada dia que passa. Se caiu aqui de paraquedas e não está entendendo nada, aconselho que veja a ultima postagem onde menciono sobre uma grave crise de ansiedade que ocorreu recentemente comigo. 

Como é a primeira consulta com um psicólogo?


Como dito anteriormente, diante de uma crise de ansiedade fui parar no hospital. Com isso no dia seguinte fui no posto mais próximo da minha casa para ser avaliada novamente, onde o médico me passou dois remédios e um encaminhamento para passar com um psicólogo.

Não demorou muito tempo para que eu fosse correr atrás da minha liberdade. Sentir-se preso a uma mente que tem oscilações de ansiedade não é nada bom. E eu estou firme diante dessa decisão de pedir ajuda diante destes problemas. Minha crise foi em 13 de setembro, e ontem 18 de setembro eu já consegui consegui marcar minhas consultas.

A princípio eu achei que só iria marcar a data e pronto. Um homem me chamou e eu entrei na sala, ele pediu meus documentos e foi anotando numa ficha. Achei que ele era apenas um secretário, atendente ou sei lá o que fosse, mas para meu engano, eu já estava falando com o psicólogo. Estranhamente  a conversa fluiu de uma maneira tão natural, e eu nem me senti nervosa no momento onde ele perguntou o motivo para que eu estava ali naquele lugar.

Eu estava diante da minha primeira pré-consulta. De uma maneira bem resumida, disse dos meus problemas de ansiedade que venho carregando durante toda a minha vida, e falei que algo havia me chateado de uma maneira muito grande recentemente e foi isso que me desencadeou um grande desequilíbrio emocional, onde fui parar no hospital.

Relatei todos meus sintomas a ele, e ele foi anotando tudo na minha ficha. Ao mesmo tempo, me disse que a ansiedade é algo natural do ser humano. Que é através dela que temos receio de fazer coisas erradas e ao mesmo tempo é através dela que temos força para correr atrás de algo. Porém no meu caso, meu corpo não está mais obedecendo o envio dessas cargas no momento correto e necessário. 

Cheguei a perguntar se todos esses sintomas eram da Síndrome do Pânico, ele disse que não exatamente, ele precisava averiguar melhor tudo o que vem acontecendo comigo e que a princípio poderia não ser, tendo em vista que consigo estar diante de pessoas, ir trabalhar e não manifestar até então nenhuma crise nessas situações. Porém não descartou a possibilidade de ser algum outro tipo de "doença" (não era bem o termo que queria usar, mas não encontrei nada que pudesse enquadrar ao que eu queria falar aqui).

Depois ele disse que eu iria precisar de fazer algumas sessões de terapias acompanhadas com medicação. Com a medicação eu ia poder ver como é a vida de uma pessoa normal, "sem ansiedade". Conforme formos avançando com a terapia, iriamos tentar cortar a medicação para ver se eu conseguiria de maneira natural agir melhor diante desses momentos tensos da minha vida. No momento em que ele falou das medicações eu fiquei com um pouco de medo, não quero me sentir dopada e quero ter uma vida normal. Mas ao mesmo tempo, imaginar como seria uma vida sem que meu cérebro ficasse "me matando a todo momento", seria um bom descanso a mim mesma.

Me despedi de forma alegre e satisfeita e com um ânimo a mais de viver. Como disse, isto foi apenas uma pré-consulta e que foi bastante proveitosa a princípio. No decorrer dos dias conforme eu tiver minhas sessões de terapia e iniciar as medicações, venho comunicar a vocês como tenho passado. Espero muito que eu fique bem logo para voltar a compartilhar meus sucessos e alegrias aqui neste cantinho. 

Você também poderá gostar de:

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários

  1. Você deu um primeiro passo muito importante pra voltar a sorrir Flavi, tô muito orgulhoso de você e estarei sempre te enviando boas energias S2

    ResponderExcluir
  2. Minha primeira consulta com o psicólogo foi aos 11 anos, sempre tive um quadro de transtorno de ansiedade o que com o tempo me levou a uma síndrome do pânico, TOC e até uma paralisia. Sempre deixava o tratamento pela metade até esse ano que estou fazendo direitinho. Você está subindo o primeiro degrau em rumo ao descobrimento de você mesma, com o tempo a gente aprende a não ligar para o que nos faz mal, a controlar os motivos da ansiedade e até mesmo largar certas coisas que nos prejudica. Desejo tudo o de melhor em sua caminhada,muita paz e luz. Que essa fase vai passe logo. Bjs
    www.diferentesou.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, seu caso foi bem grave também! O nosso cérebro é uma ferramenta muito forte né? É dificil controlar sozinho, mas nao exito em pedir ajuda, porque este é apenas o primeiro passo. Não quero me limitar a ter uma vida assim. Sempre amei a psicologia e acredito que agora ela possa salvar a minha vida. Desejo melhoras na sua vida e fico agradecida pelo carinho comigo.

      Excluir
  3. Minha primeira consulta com o psicologo foi a mais ou menos ha um ano atras, onde a minha psicologa me diagnosticou com crise de ansiedade!!
    Assim como você eu tbm sofro de ansiedade, mas por escolha minha não aderir a remédios, sou adepta a yoga, meditação que me ajudou muito principalmente que tenho crise. Exercios de respiração tbm me ajuda bastante em uma pre-crise, hoje eu tô bem melhor, não 100% mas não tenho tanta crise com frequência, a minha ultima crise foi em no fim de julho inicio de agosto. Espero que assim como eu, você melhore dessa doença. Porque muita gente pode pensar que é besteira, mas ansiedade é um caso serio, seríssimo.


    http://metadebatom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou pesquisando novas alternativas para também não ficar dependente de remédios. O Yoga parece ser uma boa prática, tentarei fazer em casa pois financeiramente já pago pilates para uns problemas que tenho de coluna e joelho =/.
      Ansiedade é um caso complicado e grave, deve ser tratado o quanto antes para poder viver melhor diante disto.
      Desejo melhoras a você que vc sempre consiga controlar essa parte tão ruim de nós.

      Excluir
  4. Oi querida
    Acho que a palavra que você estava procurando é distúrbio. Eu luto constantemente contra a depressão. Já tem algum tempo que não tomo medicação, mas passei longos meses precisando das pílulas para não enlouquecer. Não é fácil, mas com o tempo a gente vai desenvolvendo técnicas para sobreviver.
    Espero que sua melhora seja visível em breve.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi minha linda!!! Boa palavra para colocar no lugar de "doença". Depressão é foda. Eu espero não chegar nesse nível. E espero que eu que eu tenha não seja isso. Não é nada fácil lidar com essas crises, também espero ficar boa logo! Obrigada viu! ♥

      Excluir

Fico muito feliz que você esteja aqui e queira me deixar um recadinho! Sempre respondo todos comentários, então, marque a opção "notificar-me" para ler a resposta caso use o campo de comentários do blogger!