Por que sumi do blog e das redes sociais?

Bom dia guerreiros e guerreiras do meu coração de dragão? Tudo bem com vocês? Bem, comigo não. Raramente eu falo da minha vida pessoal aqui no blog, daquela parte mais profunda onde somente os amigos mais próximos e familiares sabem. Mas dessa vez, eu acho que não seja justo eu estar passando por isso, sumir daqui sem dar satisfação depois de ter conquistado o coração de tanta gente.



Esses últimos dias tem sido um pouco difíceis, são dias nos quais a gente tenta passar por cima dos problemas, se sente até um pouco bem, mas de alguma maneira todo tormento acaba voltando. Mas bem, pra quem não está entendendo muito as coisas, vamos voltar um pouco no tempo...

Lembro que minhas primeiras crises de ansiedade foram em torno dos 6 anos, porque não consigo me lembrar de muita coisa antes disso. Eu ia fazer um vídeo comentando sobre, mas ele iria ficar parado ali, como outros 4 que cheguei a gravar nesses últimos tempos.  >_>
Me recordo de uma das minhas primeiras crises de ansiedade, que me causaram ânsias de vômito. Eu era muito falante na primeira série, sempre vinha com nota vermelha em comportamento e a professora era muito MUITO brava. Teve uma reunião de pais e professores, e eu fiquei tão nervosa com medo de levar bronca, que comecei a vomitar na grama da escola (não consegui aguentar até chegar ao banheiro). Tudo isso por ANSIEDADE do que talvez nem iria acontecer... medo...

Outra recordação que eu tenho foi de uma véspera de natal, antigamente fazíamos encontros familiares na casa da minha avó, e eu estava tão ansiosa por querer saber o que eu iria ganhar de presente de natal dos meus tios, que me deu uma outra crise de vomito em casa e eu acabei não indo pra casa da minha vó por isso. Essas foram algumas das recordações mais antigas que tenho em relação as crises de ansiedade, de muitas que já passei durante toda a minha vida. 

Anos depois, já praticamente adulta, tive momentos complicados na vida que me desencadearam uma doença PSICOSSOMÁTICA. Bem, se você não sabe o que é isso, eu vou tentar dizer em termos bem simples. Isso é quando sua mente chega num nível tão foda, mas tão foda, que deixa de ser algo psicológico e acaba prejudicando fisicamente algum órgão do seu corpo, no meu caso foi o coração.


Eu sentia falta de ar, coração totalmente descompassado, insonia, dores nos músculos do peito com fincadas que apareciam do nada. Fui ao cardiologista e foi constatado taquicardia. Tive que tomar um remédio para frear meu coração. Com isso também foi indicado que o meu problema era devido ao estresse/ansiedade, excesso de adrenalina estavam contraindo meus músculos do peito, por isso as fincadas frequentes. O conselho do médico foi me afastar de tudo e todos que estavam me fazendo mal, me afastar dos problemas alheios. Acabei de afastando de muitas pessoas, porque percebi que a preocupação que eu sentia com elas, não era nada recíproco, e o problema que desenvolvi por causa delas, era eu quem estava sendo prejudicada.

Depois disso passei um bom tempo "ok", sabendo lidar perfeitamente com meus problemas, mas este ano algumas coisas mudaram. Tive um termino de relacionamento de 8 anos e meio, a faculdade ficou mais apertada por ser último período, iniciei o curso de analise de mídias sociais para crescer como blogueira, tentei me jogar no BEDA de Abril compartilhando conhecimento, estudando para não passar informação errada, muito trabalho no meu serviço do dia-a-dia, a falta de dinheiro para fazer todas as coisas que preciso ou tenho vontade, nariz, coluna e joelho fodidos...



Todo esse amontoado de coisas me rendeu recuperação em 3 matérias. Está chegando novamente o período de provas desse bimestre, mais a prova de analise de mídias sociais. Fora o medo de não conseguir me recuperar, ter que encarar as DPs,  assim não conseguirei me formar no meio do ano e ainda vou ficar presa nessa faculdade que tem me desgastado a energia desde que virou o ano. Ainda estou correndo atrás de otorrinolaringologista pois acredito que terei que fazer uma cirurgia no nariz (por não estar conseguindo respirar direito) + ortopedista para ver o que farei com essa coluna e joelho fodidos (que inclusive eu estava mancando até semana passada...)

Como viram, todo esse amontoado de coisas me tiraram do eixo completamente, não consigo me sentir produtiva no trabalho, nos estudos, na vida... Minha única vontade de verdade é querer dormir e só acordar depois de longos dias ausente do mundo. Estou cansada, estou estressada... cansada de estudar, cansada de trabalhar, cansada de conviver com as pessoas, cansada dessa cidade, cansada de ter vontade de mudar completamente e não poder, cansada de procurar pessoas legais para conhecer, para conversar  e não encontrar... cansada de pessoas que só me procuram quando estão na pior, enquanto a mim, como sempre, lidando com meus problemas em grande parte sozinha.



Ninguém se importa, eu sei. E o que eu tiver que passar, terei que passar sozinha. As vezes desejo que os dias passem depressa, mas ai eu percebo que desejar que o tempo passe rápido, é estar cada vez mais perto da morte, é desejar o amanhã e não viver o hoje... mas simplesmente não consigo viver o hoje. Já me disseram que eu não sou ansiosa, que isso tudo é 1% perto do que as  outras pessoas passam, mas ninguém sabe o peso que carrego comigo todos os dias, e o sorriso no rosto que tento levar as pessoas não é tão fácil. Costumo ter picos de adrenalina que me deixam motivada, alegre, mas que rapidamente são gastos, me levando ao desanimo e cansaço.

Ninguém sabe a batalha que o outro vive, e a ansiedade é a minha batalha interna na qual eu tenho que lidar por todos os dias da minha vida. Alguns dias eu a venço, nos outros ela quase me vence. E nesses dias que ela quase me vence, eu sinto a necessidade de recuar para tentar recuperar energia para poder acordar mais um dia e batalhar novamente. Sei que carregarei ela comigo por todos os dias de minha vida, e tentar lidar com isso é o melhor a ser feito.


Mas como sempre digo, ainda existe uma chama bem no fundo de mim que diz que as coisas ainda vão dar certo, que algum dia terei sucesso em minha vida, que nenhum esforço é em vão, que meus estudos podem me render bons frutos, que eu ainda posso realizar meus sonhos e quem sabe até encontrar um grande e novo amor.

Mas até lá... 

Profissão: TI

Bom dia guerreiros e guerreiras do meu coração de dragão! Tudo bem com vocês? Comigo tá tudo bem! Hoje quero mostrar pra vocês um pouquinho da profissão que exerço no meu dia a dia, quando estou ausente das tarefas do blog. Vem comigo! 


Como iniciei na área de informática


A informática sempre foi uma grande paixão para mim. Faço cursos de informática desde meados dos anos 2000. O meu primeiro curso de informática foi num Windows 98! Alguns anos depois fiz um curso de informática na extinta Microlins, curso que abriu as portas para que eu pudesse trabalhar. Aos meus 18 anos, comecei a fazer bicos ajudando e ensinando professores a fazerem seus trabalhos para as escolas. Como estava próxima a eles, não ajudava apenas em conteúdo relacionados a informática, mas já ajudei em lançamentos de nota em cadernetas, ajudava corrigir trabalhos, provas, fazer portifólios, apresentações de fotos...  Confesso que onde eu moro não da pra se ganhar um bom dinheiro com isso, com os bicos que eu fazia, não conseguia tirar nem meio salário mínimo na época. Eram tempos difíceis.

Foi quando surgiu uma vaga para professor na Microlins da minha cidade, e me indicaram a deixar um currículo e tentar alguma coisa. Como eu já fui aluna e já tinha experiência com aulas, mesmo que fossem particulares, me chamaram pra fazer uma prova e eu consegui passar, assim este foi sendo meu primeiro emprego de verdade. Foi uma época muito boa, conheci muita gente, pude me aperfeiçoar como profissional do ramo, tive muitas reuniões, estudei muito, montei muitas aulas, tive alunos inesquecíveis...  Confesso que não consigo me recordar de todos nomes, como viram, foram centenas, e eu ainda sou ruim de memória né? Acabava muitas vezes também confundido os nomes. Mas nenhum me levava a mal por isso...

Técnico em Informática

Com o tempo senti a necessidade de realmente me profissionalizar e buscar um "certificado" que mostrasse a "propriedade" do meu conhecimento. Pois até então eu tinha conhecimento, experiência, mas nenhum "título" formal. E vocês sabem que muita gente ainda presa por um certificado, não é verdade? Foi assim que corri atrás e iniciei um excelente curso de Técnico em Informática. Foi difícil? Teve momentos que sim, mas eu era muito empenhada, tinha algumas aulas até em domingos de manhã, aqueles domingos que a gente fica cheia de preguiça querendo ficar na cama... e eu ficava na cama? Não! Eu ia assistir as aulas porque aquilo era muito importante para mim e para meu futuro. Tive aulas de montagem e manutenção, programação, fundamentos e design para internet, análise de sistemas, banco de dados, lógica, arquitetura de redes, empreendedorismo, ética... Sem falar nos mini-cursos de Dreamweaver, Joomla e desenvolvimento de jogos. UFA!

2 anos se passaram deste então, muitos alunos se perderam durante o tempo. Entre os alunos que conseguiram concluir o curso, fui escolhida para fazer o juramento no dia da formatura, confesso que morri de medo, mas no fundo aquilo me dava um baita orgulho. Era talvez a primeira vez que eu me orgulhava de mim, a primeira vez que consegui alcançar algo "maior" por puro mérito. 

Graças ao diploma de Técnico em Informática pude entrar como estagiaria na prefeitura da minha cidade. Ganhava 400 reais por mês, era bem difícil financeiramente falando, mas aquilo me abriu muitas portas novas de conhecimento, conheci pessoas incríveis que me ajudaram muito e que eu jamais esquecerei na minha vida. 

Tecnologia da Informação

Um tempo depois resolvi iniciar a faculdade de Tecnologia da Informação, e apesar de odiar a metodologia usada pela atual faculdade que estou cursando, o curso em sí me deu um conhecimento abrangente sobre muitas coisas que eu não imaginava. É um curso muito teórico e eu prefiro mais o lado prático da coisa. Não sei dizer se todos cursos de Tecnologia da Informação são assim, mas de uma forma ou outra eu consegui entender melhor como as coisas funcionam no meio de toda essa tecnologia. Entre todas matérias pude rever bastante conteúdo do curso técnico em informática mas também aprendi a fazer vários projetos, modelagens, gerenciamentos e muito mais. 

Hoje sou funcionária pública no cargo de Tecnologia e Suporte e todo este conhecimento adquirido tanto no curso de Técnico em Informática, quanto na faculdade de Tecnologia da Informação mais a experiência de diversos recursos usados no dia a dia abrangeu grandiosamente meu conhecimento em relação a informática e a tecnologia. Hoje sou um tipo de pessoa "faz de tudo". Dou suporte com acesso remoto, tiro dúvidas, ajudo na execução de trabalhos de diversos setores, troco peças, participo de licitação de equipamentos de informática, faço análise técnica de produtos, troca de toner, recarga de cartucho, configuração e cabeamento de rede, subo em cadeiras, sento pro chão, me sujo, me descabelo...

Paralelamente ainda faço um curso de Análise de mídias Sociais, onde agrego todo conhecimento ao blog, pois quero fazer deste cantinho que amo tanto, também um trabalho.

Nas horas vagas dou aulas particulares de informática de modo autônomo, formato computadores, instalo programas...  Trabalhar como profissional de TI é um trabalho extremamente cansativo, mais psicológico do que físico, acaba dando um desgaste mental quase sempre. Mas no fim das contas, amo o que faço. ♥

Resumidamente, esta é minha vida fora do blog. Uma correria, estresse... uma loucura que eu amo! E ainda sim, não desisto de fazer o que eu amo que é blogar. Estou sempre estudando, lendo artigos e tentando a cada dia que passa ser uma pessoa melhor, não só de maneira profissional com meu trabalho em TI, mas também como blogueira.

Qualquer dúvida, sugestão, me deixa um recadinho! Adoro manter contato com vocês! Beijo da Guerreira, fui! ♥


Minha primeira entrevista para um site internacional!

Bom dia guerreiros e guerreiras do meu coração de dragão! Em janeiro eu pressenti que 2017 ia ser um ano maravilhoso para o blog, e no mês de março fui surpreendida com uma mensagem que fez meu pobre coração bater depressa! Fui convidada para dar uma entrevista para um site de uma revista digital do Peru!

Como o blog mudou minha vida

Um dos administradores e criadores de conteúdo do site acabou me encontrando em um grupo de blogueiros no facebook, especificamente sobre uma postagem que fiz sobre como melhorar o SEO do blog (se quiser ver esta postagem basta clicar aqui). Ele gostou tanto da minha postagem e do meu blog que resolveu me chamar para uma entrevista. Confesso que jamais imaginei que o blog acabaria tendo esta oportunidade, mas fiquei imensamente feliz e aceitei a proposta!

Minha primeira entrevista para o blog
www.perumira.org
Confesso que jamais iria imaginar que algum dia na vida alguém pudesse me pedir uma entrevista. Ainda mais para um conteúdo internacional! Pode ser algo tão pequeno aos olhos de outros, mas para mim, cada pequeno passo que consigo avançar nessa blogosfera é tão importante e valioso! Sou muito grata pela oportunidade que me foi oferecido e com toda certeza isso ficará marcado na minha história e em meu coração!

Existem momentos que bate uma certa tristeza e desanimo em relação a blogosfera, mas quando alguém reconhece o mínimo do nosso esforço é tão gratificante que toda a parte ruim se vai. Me sinto grata por poder fazer o que eu amo, que é poder blogar. Mesmo com todos aqueles dias ruins que a vida insiste em nos desafiar, seja em relação ao cansaço do trabalho do dia a dia, seja o desgaste de relacionamentos sociais, seja pelos estudos, pela saúde física e emocional... eu ainda estou aqui!

Blogar deixou de ser um simples hobbie, e possivelmente pode se tornar um trabalho que eu ficarei muito feliz em poder exercer. Acho que nenhum dinheiro no mundo paga a satisfação de trabalharmos com o que realmente amamos. E eu estou batalhando por isso, para quem sabe algum dia conseguir viver de internet, de conseguir fazer uma vida melhor pra mim e para minha família. É um sonho grande, distante, para muitos até impossível. Mas a vida tem me mostrado que todas as coisas que pareciam ser impossíveis para mim, no fundo são realmente possíveis.

Deixo aqui então a vocês, um pouco de um desabafo, um pouco de palavras de motivação e também o link da entrevista para que vocês possam conhecer um pouco mais da Flavi pelo lado pessoal e profissional. 

Clique aqui para ver a entrevista!

"Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem.. ou que seus planos nunca vão dar certo, ou que você nunca vai ser alguém..."